Oscar 2015: Tapete Vermelho

O Oscar é o ápice da temporada de tapetes vermelhos. Também não seria para menos, já que trata-se da maior premiação do cinema americano, a festa mais aguardada de Hollywood e agitação certeira entre cinéfilos. Mas mesmo com toda a pompa e glamour, há um tempo pode-se perceber que os ilustres indicados aos prêmios e convidados estão mais discretos em relação às suas escolhas de looks. Não que não sejam boas (e caras) escolhas, só estão mais próximas do que seria um look que eu e você usaríamos numa formatura ou casamento, por exemplo. Aquela aura de sonho inatingível pouco tem sido representada nas roupas. Ainda é alta costura, claro, mas com perfume de realismo, sem extravagâncias (pelo menos aparentes).

As minhas favoritas da noite de ontem (22/02):

Hannah Bagshawe, esposa de Eddie Redmayne. Ele ganhou o Oscar de melhor ator por “A Teoria de Tudo”, em que interpreta o físico Stephen Hawking. Ela vestiu Alexander Mcqueen (assim como seu marido), de inspiração em deusas gregas. Esse bonito detalhe no quadril é um bom artifício para quem tem quadris estreitos e quer harmonizar as linhas do corpo.

Hannah-Bagshawe_mcqueen

Dakota Johnson, de Saint Laurent vermelho e minimalista. O ombro destacado funcionou como uma joia e é uma ótima referência para quem quer surpreender com um detalhe apenas.

Dakota_Johnson_Saint Laurent

dakota_beauty

Jennifer Lopez sempre gostou de decotes generosos e nela isso não me incomoda, pois eu entendo que faz parte da sua personalidade e do seu trabalho como cantora pop, além de possuir um corpo favorável para isso. Ela escolheu look Elie Saab, estilista libanês especialista em trajes de gala. Seus desfiles são vitrines de puro glamour, com vestidos bordados, fendas, transparências… É muito copiado, por sinal! Anote aí: decote V e cintura marcada por um cinto são tendências fortes!

jennifer-lopez_eliesaab

Margot Robbie era a visão da femme fatale nesse pretinho Saint Laurent com transparências e um quê de anos 30. O colar da grife Van Cleef & Arpels era o mais bonito da noite e foi a cereja do bolo no look. É o que no mundo da moda chamamos de peça statement.

margot_robie

margot

Nas outras premiações isso já vinha acontecendo e no Oscar não foi diferente: o nude já não reina absoluto e só algumas atrizes optaram por ele. Zoe Saldana escolheu Versace para evidenciar incríveis formas depois de recente gravidez. Jennifer Aniston também foi de Versace, com recortes transparentes estratégicos. Keira Knightley está doce como uma fada nesse Valentino etéreo. Então, se você faz a linha sexy ou se faz a linha princesa, já tem boas inspirações.

Nudes

Entre os escuros, azul marinho está em voga. E os pretinhos básicos não poderiam faltar! Interessante quem uniu as duas cores, como Sienna Miller, de Oscar de la Renta, e Jessica Chastain, de Givenchy. Destaco Jamie Chung, de vestido Yanina Couture, que possui um trabalho de bordado e transparência romântico e moderninho. Cate Blanchett, sempre elegante, usava uma peça de John Galliano para Maison Magiela, que surpreendia com um decote nas costas. É a consagração da volta do estilista aos tapetes vermelhos, depois de anos afastado.

escuros2

escurosPreto e branco também é certeiro, pois cria um contraste que evidencia o que você quer valorizar e disfarça o que for preciso. Ou simplesmente cria bons efeitos gráficos. Reese Witherspoon, de Tom Ford, concorria ao prêmio de melhor atriz por “Livre”, um filme biográfico e inspirador baseado no livro “Livre – A Jornada de Uma Mulher Em Busca do Recomeço”, de Cheryl Strayed. Ela perdeu para Julianne Moore, indicada por “Para Sempre Alice”.

Meryl Streep, de Lanvin, concorria (de novo!) à estatueta de Melhor Atriz Coadjuvante por “Caminhos da Floresta” (musical interessante), mas perdeu para Patricia Arquette (vestindo Rosetta Getty), que fez um trabalho muito melhor em “Boyhood”. Infelizmente, “Boyhood” foi agraciado somente com o prêmio de Arquette, perdendo em todas as suas outras indicações.

peb

Entre os brancos, nenhum foi liso. Todos tinham texturas, bordados, aplicações… Lupita Nyong’o soube se destacar na medida certa (já que não foi indicada a nenhum prêmio), com um Calvin Klein Collection adornado com seis mil pérolas! Criação do estilista brasileiro Francisco Costa, de muito bom gosto e que está à frente da marca desde 2002, como diretor criativo da linha feminina. Inclusive já fez parceria com a C&A, assinando uma coleção que foi lançada em 2014.

Marion Cotillard é linda e uma atriz sensacional, mas seu look é assim… estranho. Não existe outra palavra para esse Dior e para tantas outras criações de Raf Simons, estilista belga que substitui o britânico John Galliano, demitido da grife francesa após se envolver em um escândalo anti-semita.

brancos

Os perolados e metalizados foram as escolhas da maioria. Percebe-se que o tão saturado tule e todas aquelas transparências estão sutilmente dando lugar aos tecidos nobres e encorpados. Fica a dica!

Meu favorito entre esses é o vestido Alberta Ferreti de Laura Dern, meio rocker, meio guerreira medieval. Já as luvas de Lady Gaga deram o que falar na internet com muitos memes, inclusive. Mas é algo a se observar, pois vez ou outra alguém aparece com esse acessório (bem usado ou não). No caso de Gaga, o look é Azzedine Alaia.

Julianne Moore teve um Chanel feito especialmente para ela, pois ela e Karl são amigos próximos. Nada mais justo, pois ela foi a rainha da noite com seu prêmio de melhor atriz por “Para Sempre Alice”. Destaque também para Anna Farris e Emma Stone de Zuhair Murad e Eliee Saab, respectivamente. Estilistas sabidamente experts quando o assunto é tapete vermelho. Emma foi indicada a Melhor Atriz Coadjuvante pela participação em “Birdman”, filme dirigido por González Iñárritu e que ganhou o maior prêmio da noite.

perolados-metalizados2

perolados-metalizados3

perolados-metalizados

Estampas foram poucas e controversas. Eu, particularmente, considero a escolha de Lorelei Linklater (de “Boyhood”) acertada. É desses modelos “fora da caixa”, uma inspiração oriental interessante executada por uma nova estilista que merece nossa atenção, Gabriela Cadena. Tome nota! O problema maior do look, na minha opinião, está na maquiagem e no cabelo, que não valorizaram a ousadia do vestido.

Estampados

Entre os coloridos, muita candid color e pouca cor viva. Destaco os poucos homens que fizeram bonito nesse quesito, saindo do tradicional preto e branco. Jared Leto é sempre descolado e estava de Givenchy, mas Ansel Elgort (de Prada) e David Oyelowo (de Doce & Gabbana) são meus favoritos.

candids

colors

Entre os vermelhos, Rosamund Pike não levou o prêmio de Melhor Atriz por “Garota Exemplar”, mas ganhou o coração de muita gente com um look Givenchy elegantíssimo. Além de possuir uma beleza clássica, Rosamund mostrou todo o talento que tem interpretando Amy, uma mulher um tanto quanto “complicada”… Só vendo o filme para entender! Recomendadíssimo.

Já Solange Knowles ousou com look Christian Siriano todo fechado. O interessante é perceber que um traje de gala não se limita a vestidos. Amando ou odiando a escolha de Solange, ele pode servir de referência para as fashionistas e mais ousadas que não querem seguir padrões e continuarem bem vestidas. Ah, e o Adam Levine ali no canto é só um detalhe hehe.

vermelhos

Por fim, minhas decepções imperdoáveis! Em ambos os looks abaixo eu não consigo salvar nada. Quero dizer, salvo o corte de cabelo da Scarlett Johansson (que me lembrou o corte da Kristen Stewart), moderninho na medida! Nicole vestiu Louis Vuitton e Scarlett, Versace. Ou seja, clássico exemplo de quando uma grife não diz nada.

decepções

Agora aguardo seus comentários! Até breve! =)

Obs.: As fotos foram reproduzidas das seguintes fontes:

http://www.nydailynews.com/http://www.eonline.com/ | http://www.usmagazine.com/http://www.hollywoodreporter.com/http://www.huffingtonpost.com/ | http://www.glamourmagazine.co.uk/http://www.ibtimes.com/ | http://www.justjared.com/

Anúncios